Talento é sorte, o que você precisa é de coragem!

Talento é sorte, o que você precisa é de coragem!

Quanto mais eu estudo a trajetória de empreendedores de sucesso, mais isso fica claro. Atribuir exclusivamente o talento de alguém pelas suas conquistas é apenas a desculpa daqueles que fracassam.

Não me entenda mal, eu não quero dizer que talento é algo importante. Mas ele não é primordial. Eu prefiro um milhão de vezes contratar alguém sem talento, mas com “sangue nos olhos” e sem medo errar, do que alguém extremamente talentoso, mas que não tem um pingo de coragem.

Não podemos terceirizar a culpas das nossas derrotas ou dificuldades, porque não possuímos talento para determinada atividade.

Na vida não existe meio termo. Ou você está criando razões para fazer acontecer, o que está contando historinhas para não fazer. É tão simples quanto isso. Então eu te pergunto: quais são as historinhas que você tem contando para você ultimamente?

Eu tenho uma enorme empatia por isso, pode acreditar, eu entendo o que você está passando. Porque eu já contei centenas de histórias para mim mesmo.

Quando o jogo virou

O jogo virou quando eu comecei a levar a sério a técnica da modelagem. Estudar a fundo a jornada de pessoas que já chegaram aonde eu quero chegar.

Quando somos crianças, as nossas referências de vida são os nossos pais, certo? É através do exemplo deles que moldamos nossas ações e comportamentos.

No entanto, quando ingressamos na fase adulta é preciso mais do que isso. Precisamos identificar mentores, pessoas que já obtiveram sucesso na sua área e podem encurtar a caminhada para atingir os nossos objetivos.

Eu não sei quem são os seus mentores, mas neste artigo eu faço questão de compartilhar com vocês quem são os meus. Se você não os conhece, eu indico fortemente que você conheça.

Wendell Carvalho, Rapha Avellar, Felipe Marx, Caio Carneiro, Flávio Augusto, Anthony Robbins, Brendon Burchard, são alguns dos profissionais que me inspiram e que modelo suas atitudes, ensinamentos e escolhas.

E ao estudar a biografia, literatura e mídias sociais destes profissionais, eu identifiquei algo em comum. Desce para o parágrafo abaixo e confira!

O poder da autorresponsabilidade

Construir a crença inabalável que todos os seus resultados são fruto das suas competências, dos seus comportamentos e das suas decisões. Este, para mim, é a essência da palavra autorresponsabilidade.

Além disso, também existem outros pontos, mas este fator, foi o que eu identifiquei de mais forte e gritante na vida de cada um destes empreendedores.

Foi neste momento que a minha ficha caiu. Para todos os objetivos que eu tinha na minha vida, e sonhos que eu ainda não tinha conquistado, existiam várias historinhas para não conquistar cada um deles.

E estas historinhas eram ilustradas por meio de algumas frases como essas:

  • “Eu não tenho jeito pra isso”
  • “Eu não tenho tempo”
  • “Minha família complica a minha vida”
  • “O que meus amigos vão achar de mim?”
  • “Deixa para depois, agora eu não tenho dinheiro”.

Talvez você também esteja dizendo para você mesmo algumas frases como essa. E se for o seu caso meu amigo (a) eu tenho um conselho para você: “Pare de acreditar, em tudo que você pensa, e comece a agir agora”.

Pensar de forma negativa, contado histórias enganosas, nada mais que um instinto do nosso cérebro, uma espécie de proteção para nos livrar de frustrações e sofrimento.

Aja pelos motivos certos

Sabe qual é um dos principais problemas do ser humano em geral? É agir mais pelo medo de perder, do que pela vontade de ganhar. É por isso que os corajosos se destacam, e só o talento se torna supérfluo.

Um grande exemplo disso na minha opinião, é do português, Cristiano Ronaldo, eleito cinco vezes o melhor jogador de futebol do planeta.

Ele está longe de ser o jogador mais talentoso. Brasileiros como Neymar, Robinho, Ronaldinho Gaúcho, possuem muito mais talento que ele. Mas nunca atingiram o nível de dedicação, disciplina e foco do jogador da seleção portuguesa.

Vou te dizer algo agora que posso te chocar. Eu também me senti assim quando ouvi isso pela primeira vez, mas é uma verdade que precisa ser dita. Quem procura o tempo todo por estabilidade, vai colher o tempo todo mediocridade.

Se você realmente quer lutar por grandes resultados, precisa estar disposto a assumir riscos proporcionais. Não existe um atalho.

E quando eu digo risco, não estou dizendo apenas financeiro. Risco de passar vergonha, risco de não ser aplaudido, risco de falaram mal de você, risco da sua família não te aprovar, risco de amigos zombarem de você.

Se você não tiver inteligência emocional para lidar com tudo isso, infelizmente você não está preparado para chegar nas posições de topo e possivelmente seus sonhos serão adiados.

Conclusão

Você não precisa concordar com todas as palavras redigidas neste texto. Eu respeito muito isso. Meu único pedido é que você desligue, por um momento, o seu julgamento, e reflita honestamente.

Compare os conceitos abordados aqui com os seus resultados, com seus comportamentos, com a sua vida em geral. Espero de coração, ter lhe gerado algum insight para te gerar valor!

Um abraço!



Autor: Leonardo Beling
Publicitário, especialista em Planejamento e Gestão de Negócio e Coach, é apaixonado por assuntos ligados a empreendedorismo, inteligência emocional e alta performance. Diretor de Markerting da GGV, semanalmente escreve para o blog GGV e grava vídeos de conteúdo para as redes sociais. Locutor e compositor nas horas vagas.

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

1
×
Olá Empreendedor, tudo bem?
Me conte sobre o seu negócio!