Como melhorar a gestão de Recursos Humanos na sua empresa?

Como melhorar a gestão de Recursos Humanos na sua empresa?

Muita gente dentro do mundo empresarial acredita que as gestão de Recursos Humanos é um dos ativos mais importantes na companhia, e esta perspectiva realmente faz muito sentido se analisarmos a necessidade e a relevância dos funcionários dentro de uma empresa. Eles operam o maquinário, movimentam o negócio e trazem para a companhia toda a inteligência de mercado necessária para manter a organização rentável e lucrativa.

Mas todo mundo sabe também que “lidar com gente” nunca foi fácil. Por isso, a gestão de direitos humanos de uma empresa precisa ser um dos setores mais valorizados deste negócio.

A retenção de talentos e profissionais de qualidade no quadro de funcionários tem muito a ver com a gestão de RH promovida pela empresa, e pode ter impacto direto sobre a performance operacional e estratégica do negócio. Por isso, quando o assunto é recursos humanos, não se pode descuidar.

O que faz o RH de sua empresa?

Em centenas de empresas Brasil afora, o setor de Recursos Humanos não faz exatamente o que deveria, mas sim, herdou funções contábeis graças à desinformação ou a desorganização dos negócios. Ou seja: o RH fica responsável diretamente pela contratação, demissão, férias e outros detalhes da passagem e permanência do profissional pela empresa.

Se o seu RH faz só isso, é um desperdício de potencial. Deixe os detalhes burocráticos para quem realmente deve lidar com isso, e transforme o seu time de RH em uma equipe focada e concentrada na formação de bons profissionais, com substrato humano, capacidade técnica, constante capacitação e com potencial de crescimento dentro das estruturas organizacionais. Em resumo, faça com que o seu RH potencialize o desempenho dos humanos que fazem parte da empresa.

 

E como isso é possível?

Comece deixando o RH responsável pelos processos seletivos da empresa. Faça entrevistas, uma triagem e análise rigorosíssima de currículos; promova ainda dinâmicas individuais e em grupo para que os candidatos possam mostrar suas aptidões. Isso vai facilitar a escolha dos melhores profissionais para compor o quadro funcional da companhia. Depois, acompanhe diálogos com líderes, chefes e gestores para ver como o candidato se comporta diante de pressão e hierarquia.

Uma vez dentro da empresa, o RH precisa monitorar a performance dos profissionais, mas, além disso, ouvi-los também. Qualquer funcionário, mesmo os de baixa escala, podem ter insights interessantíssimos de medidas que a empresa poderia tomar para deixar as atividades mais prazerosas, menos cansativas e ao mesmo tempo mais eficientes, cortando custos e gerando mais lucros.

O RH pode e deve também pensar, junto à divisão financeira da empresa, a respeito dos planos de carreira e progressões profissionais para que os funcionários se sintam incentivados e motivados a permanecer e crescer dentro da companhia. Assim, a organização evita que os seus melhores componentes sejam fisgados por ofertas de melhores salários na concorrência.

O time de RH que age com qualidade ajuda ainda na motivação e na capacitação dos profissionais. Oficinas, workshops, coaching e outras atividades semelhantes podem ajudar no engajamento de profissionais junto às causas da empresa, além de criar neles um sentimento de pertencimento e identificação com a marca que pode ser o segredo de performances mais promissoras, uma vez que os funcionários “vestiram a camisa”.

Os Recursos Humanos podem ainda fazer regulares pesquisas de clima organizacional para verificar as condições internas da empresa e averiguar como anda a harmonia entre colegas, chefes, gestores e subordinados. Isso ajuda a encontrar lacunas e preenchê-las com boas estratégias de gestão.

O RH não deve ser o setor de sua empresa no qual os funcionários apenas vão para ser contratados, demitidos ou tratar sobre férias, mas sim, um espaço onde possam debater seu cotidiano profissional, os interesses da empresa, os rumos de sua carreira e seu desenvolvimento humano. Mas realizar todas estas funções pode ser oneroso demais para a sua empresa no momento. Como fazer?

As consultorias empresariais estão prontas para agir também diretamente sobre as áreas de recursos humanos das companhias, implementando políticas, estratégias e modernizações que fazem a diferença para posicionar uma empresa de maneira consolidada no mercado contemporâneo, cada vez mais acirrado e concorrido. Invista em consultoria de RH e colha resultados a curto, médio e longo prazo!



Autor: Leonardo Beling
Publicitário, especialista em Planejamento e Gestão de Negócio e Coach, é apaixonado por assuntos ligados a empreendedorismo, inteligência emocional e alta performance. Diretor de Markerting da GGV, semanalmente escreve para o blog GGV e grava vídeos de conteúdo para as redes sociais. Locutor e compositor nas horas vagas.
1
×
Olá Empreendedor, tudo bem?
Me conte sobre o seu negócio!