Você é o "One Man Show" do seu negócio? Saiba o que isso significa

Você é o “One Man Show” do seu negócio? Saiba o que isso significa

Gerir um negócio requer uma série de responsabilidades e desafios. A ideia de que empreender é sinônimo de trabalhar menos e poder curtir a maior parte do tempo tomando água de coco na praia, é na maioria dos casos, um conto de fadas. E na dinâmica de 99% dos empreendedores de brasileiros, eles são, de fato, o “One Man Show” do negócio. Esta expressão da língua inglesa quer algo como: “trabalho de um homem só”.

Esta realidade torna o empreendedor funcionário do seu próprio negócio? Ficou confuso? Calma, vem comigo!


Uma pergunta que normalmente realizamos para nossos clientes é: O quanto o seu negócio, hoje, depende de você? Se você resolver tirar férias de 20 dias e viajar para Bahamas, qual será o impacto disso na sua empresa?

A resposta da esmagadora maioria é que o negócio é totalmente dependente do gestor. Se ele (a) não estiver presente fisicamente, seus funcionários não irão trabalhar da melhor forma, as atividades operacionais da companhia não serão executadas, os resultados não serão satisfatórios e o cliente provavelmente será mal atendido.

E quais são os motivos desta realidade? São dois fatores principais: falta de delegação e mapeamento de processos.

Delegar

Saber delegar, ou seja, repassar atividades e distribuir responsabilidades é um dos pilares de qualquer líder. Se você quer ter mais qualidade de vida, trabalhar menos e ganhar mais, você precisa desenvolver esta competência imediatamente.

Centralizar as ações importantes apenas em você, só vai tornar os processos internos cada vez mais travados e improdutivos. Além disso, existem atividades que outros profissionais podem executar até melhor do que você.

Uma das grandes desculpas dos donos da empresa, é dizer que ninguém vai fazer tão bem quanto ele. E nem sempre, esta premissa é verdadeira. Mas quando realmente for, é preciso ter consciência que enquanto esta função não ser redirecionada, ela vai ocupar parte do seu tempo, que você poderia estar usando para afazeres mais importantes, estratégicos, e voltado para aumentar os seus resultados.

Se dê por satisfeito, se alguém do seu time executar com 70% do seu nível de performance. Com o tempo de trabalho, ele irá se aperfeiçoar para atingir o 100% ou até ultrapassar. E para que você alcance isso, você tem duas opções: contrate pessoas capacitadas ou invista no desenvolvimento do seu colaborador, por meio de treinamento, cursos, workshops, etc.

No fundo, quem centraliza tudo, só manifesta a insegurança de perder o controle da situação, a incapacidade de desenvolver pessoas. Dê autonomia para as pessoas e foque suas ações no que está atrelado ao seu real talento. E desta forma, que você vai realmente trazer resultados significativos para o seu negócio.

Mapeamento de processos

Mapear processo significa desenhar um passo a passado de ações a serem realizadas, com início, meio e fim, afim de padronizar determinada atividade empresarial.

Um dos meus sócios aqui na GGV, o Vinícius Morais faz uma analogia que eu acho interessante. Mapear processo é como um jogo de tabuleiro. É definir uma estratégia para ser seguida e ganhar o jogo. Simples. Se você não sabe qual caminho vai seguir, vai ficar a mercê do acaso.

É por isso que seus funcionários não exercem suas atividades de forma integrada. Pois não há uma padronização definida, registrada, desenhada e principalmente, comunicada.

Na grande maioria dos casos o processo está apenas na cabeça do empreendedor. E apenas a comunicação verbal das atividades não é suficiente, o processo de assimilação, a jornada de aprendizado do ser humano não é tão rápida quanto imaginamos.

Então agora, mãos a obra. Sugiro que você use uma ferramenta digital para mapear os seus processos. Tem um aplicativo gratuito que você baixar no seu computador que se chama Bizagi, e é muito simples de utilizar. Para fazer o download dele, clique aqui.

Mas tome cuidado, você não precisa mapear processo de tudo na sua empresa. Cada setor deve ter apenas seus principais processos mapeados, ou seja, aquilo que é mais importante para o funcionamento e eficácia do departamento.

Conclusão

Seguindo estes passos, você estará preparado, para não ser mais o “One Man Show” do seu negócio, e destinar seu tempo, foco, energia no que realmente importa e vai te elevar o patamar que você se encontra.

Te adianto, que no começo não será fácil e você terá que se desafiar. Largar vícios e executar coisas novas te tira completamente da zona de conforto. Mas esta são as consequências de quem quer ser protagonista e ter resultados acima da média.

Se este conteúdo fez sentido pra você e você se conectou de alguma forma, deixa seu comentário e compartilhe com alguém.

Até a próxima!



Autor: Leonardo Beling
Publicitário, especialista em Planejamento e Gestão de Negócio e Coach, é apaixonado por assuntos ligados a empreendedorismo, inteligência emocional e alta performance. Diretor de Markerting da GGV, semanalmente escreve para o blog GGV e grava vídeos de conteúdo para as redes sociais. Locutor e compositor nas horas vagas.

Deixe uma resposta